8 Dicas para reduzir custos logísticos

reduzir custos logísticos

Para reduzir custos logísticos e tornar as atividades mais enxutas e rentáveis é crucial ter uma boa gestão logística. Ela influencia diretamente na redução de prazos de entrega, facilidade de disponibilidade dos produtos e na precificação, ajudando a atrair mais clientes para o negócio.

A logística envolve operações como transporte, armazenagem, estoque, inventário, tempo de trânsito, processamento de pedidos, carga tributária, entre outros fatores. Para aumentar a produtividade e a lucratividade, as empresas precisam levar em conta os custos de todas essas operações e procurar tornar os processos mais eficientes e econômicos.

1. Utilize ferramentas de gestão de custos

A gestão dos custos logísticos é feita a partir do planejamento de custo. Ele permite determinar os padrões de custo de produção, simular diferentes cenários, escolher a política de produção mais adequada e fazer a determinação de preço.

Problemas como a baixa utilização dos ativos podem ser identificados por esse tipo de ferramenta. No suprimento, por exemplo, uma ferramenta de custeio pode definir os critérios de seleção de fornecedores, dos tamanhos dos lotes de compras e da política de estoques.

O sistema deve possibilitar a simulação de diferentes políticas de produção, para verificar como se comportam os custos diante de cada modificação. Além disso, ele deve alocar os custos indiretos de modo não distorcido, para que se possa custear os produtos e mensurar a sua rentabilidade.

2. Faça o rateio de custos

O rateio de custos possibilita que a divisão proporcional dos gastos seja feita conforme as informações passadas por cada setor. Desse modo, é possível saber com mais precisão os gastos da empresa, calcular a sua rentabilidade e planejar o seu ciclo produtivo de modo mais eficiente.

As informações numéricas são fundamentais para a tomada de decisão, a precificação de mercadorias e a realização de investimentos lucrativos. A medição do nível de serviço está relacionada com a disponibilidade de produtos, capacidade operacional e qualidade de esforço.

Para reduzir custos logísticos é possível ratear os custos considerando-se os gastos diretos, que incidem diretamente sobre a produção e variam conforme ela varia, ou pelos gastos indiretos, aplicando-se parcelas proporcionais dos gastos indiretos sobre o valor de cada mercadoria.

O setor contábil deve considerar não apenas os aspectos fiscais e produtivos, mas também a distribuição de gastos, o custo de oportunidade e a depreciação. Por exemplo, o dinheiro empregado em um estoque que está estagnado poderia ser aplicado em um investimento mais lucrativo.

3. Utilize galpões de distribuição

A utilização de centros de distribuição na operação logística é uma boa alternativa para descentralizar o gerenciamento das entregas em diversas unidades nas quais os produtos são armazenados e depois despachados para o destinatário, auxiliando para reduzir custos logísticos.

Os centros de distribuição avançados são escalonados de modo a posicionar o estoque em vários elos de uma cadeia de suprimentos. O seu objetivo é permitir rápido atendimento às necessidades dos clientes de uma área geográfica distante dos centros produtores.

Além de buscar um rápido atendimento, os centros de distribuição possibilitam a obtenção de economias de transporte, pois operam como centros consolidadores de carga. O transporte até o cliente pode ser feito em cargas fracionadas, em deslocamentos de pequena distância.

Quando utilizados por múltiplos fornecedores, os centros de distribuição apresentam vantagens adicionais. Além de maior facilidade e rapidez de transferência, pode-se também realizar a entrega final de forma consolidada, quando os pedidos dos clientes aos diversos fornecedores são combinados.

4. Calcule a previsão de demanda

A previsão de demanda pode ser realizada com base nos dados da área comercial, considerando-se o histórico de vendas e análise do comportamento do mercado, e da gestão de estoques, com base no giro dos produtos. Ao cruzar essas informações, você pode criar estimativas de qual será a procura dos clientes nos próximos períodos e organizar a aquisição de novos produtos.

A composição do estoque deve se basear na realidade do negócio, evitando problemas como faltas, excessos e desperdícios. Tudo isso influencia diretamente nos custos operacionais, na redução de perdas e na otimização do gasto do capital de giro do negócio.

5. Use a tecnologia a seu favor

Existem diversas soluções tecnológicas que podem ajudar a aprimorar a gestão logística e a diminuir os gastos, como o ERP, o WMS e o TMS. O ERP (Enterprise Resource Planning) é um sistema voltado para a gestão integrada da empresa, que contribui para melhorias na logística à medida que faz a troca automática de informações, melhora a comunicação, automatiza os processos e aumenta a produtividade. Com ele, é possível monitorar o volume de vendas, equilibrar os níveis de estoque e dimensionar corretamente a necessidade de veículos para entrega.

Já o WMS (Warehouse Management System) é uma ferramenta voltada para o controle de rotinas do estoque. Ele permite o controle de processos como recebimento, armazenagem, separação de pedidos, inventário de materiais e expedição.

O sistema WMS é integrado a um ERP para otimizar todas as atividades operacionais e administrativas do processo de armazenagem, resultando em um melhor aproveitamento dos espaços e maior eficiência na organização do fluxo e distribuição dos produtos.

O TMS, por sua vez, é um sistema de gestão de transporte que oferece funcionalidades como a consolidação de cargas, monitoramento das entregas, gestão de ocorrências, auditoria de faturas e roteirizador.

6. Acompanhe os indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho (KPIs) são ferramentas de gestão que ajudam a identificar os resultados dos processos e a reduzir os custos logísticos por meio da identificação de falhas e oportunidades de melhoria. Entre as métricas que devem ser acompanhadas, incluem-se os custos com fretes; custo do estoque; índice de avarias e extravios; e quantidade de reentregas.

Com base nesses dados, devem ser realizadas análises antes de tomar decisões. Desse modo, você será capaz de evitar ações que diminuam os gastos, mas comprometem a qualidade dos produtos e serviços oferecidos.

7. Utilize os recursos da palletização

A paletização é a disposição dos produtos por camadas, formando pilhas e obtendo-se um volume paralelepipedal, cuja altura é determinada pelo peso e o espaço disponível.

No setor de armazenagem, pallets e produtos conectados contribuem para uma gestão de estoque mais inteligente. A palletização facilita e agiliza o acesso a cada pallet armazenado, otimizando o controle do estoque e adaptando as operações a qualquer espaço, tamanho ou peso da mercadoria que será armazenada.

reduzir custos logísticos

A palletização do sistema de armazenagem facilita e agiliza o acesso a cada pallet armazenado, otimizando o controle do estoque e adaptando as operações a qualquer espaço, tamanho ou peso da mercadoria que será armazenada.

A palletização pode ser realizada nas modalidades drive in (por acumulação em superfície ou altura), drive-thru (com dois corredores de acesso à carga, um de cada lado da estante) ou push-back (armazenamento de até quatro pallets na profundidade em cada nível).

Na paletização, a distribuição e altura das estantes são determinadas em função das próprias características do armazém, dos elementos de armazenagem e dos equipamentos utilizados. Esse sistema permite o uso corredores estreitos e alturas maiores, melhorando o aproveitamento do espaço físico com o uso de empilhadeiras elevadoras ou de transelevadores automáticos.

Além disso, é possível combinar o armazenamento com estantes para picking manual, de modo a aumentar a quantidade de pallets armazenados, instalando-se estantes de dupla profundidade ou armazenando um pallet na frente do outro, de modo a permitir acesso pelos dois lados do corredor.

8. Veja as vantagens de utilizar o pallet plástico rotomoldado

Os pallets favorecem a racionalização dos espaços de estocagem, a diminuição dos danos em produtos e a melhor utilização dos espaços verticais. A sua estrutura confere acesso direto e individual a cada unidade de carga, facilitando a distribuição dos produtos.

Produzidos em cores diversas, os pallets permitem uma organização dos produtos mais eficiente, com fácil identificação das mercadorias, bom uso do espaço físico e rastreabilidade de propriedade. Além disso, eles são até 70% mais leves que os pallets de madeira, possuem peso constante e dispensam manutenção a longo prazo.

Os pallets plásticos são versáteis e podem ser configurados para uso no solo, em porta pallet deslizante, drive in dinâmico, rack e estantes metálicas. Eles contam com um moderno sistema de travessas de encaixe que confere rapidez e facilidade na montagem e desmontagem.

Por sua resistência, o porta-pallet possibilita a armazenagem de produtos grandes e pesados na posição vertical, otimizando o aproveitamento do espaço físico e multiplicando a capacidade de estocagem.

Como vimos, existem diversos recursos e estratégias capazes de reduzir custos logísticos e tornar os processos mais eficientes. Essas medidas são cruciais para a competitividade de uma empresa, mas devem ser feitas com planejamento e de modo estruturado.

O que você achou deste post?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
+ 55 (54) 999 597 996
 
+ 55 (54) 991 693 589
 
+ 55 (54) 991 914 126
×