Segurança e proteção no trabalho em frigorífico

segurança em frigorífico

O trabalho em frigorífico é acompanhado de riscos e, caso não seja seguido um padrão de segurança e proteção, diversos acidentes podem acontecer.

É por isso que quem trabalha nesse tipo de local precisa estar atento aos cuidados básicos durante o trabalho e seguir normas rigorosas de segurança.

A seguir, descubra como evitar acidentes durante o trabalho em frigorífico!

Conheça os riscos do trabalho em frigorífico

Não é surpresa que os frigoríficos exijam um rígido controle de temperatura, uma vez que o trabalho engloba a estocagem e a manipulação de carnes. Muitas vezes, a câmara fria chega a ficar abaixo de zero.

Aparentemente, não há nenhum problema, mas a baixa temperatura pode contribuir para o desenvolvimento de doenças.

Muitos não sabem, mas o frio ocupacional pode desencadear ulcerações na pele, hipóxia e dormência no corpo.

Outro grande risco envolve acidentes, em sua maioria causados por meio das ferramentas perfurocortantes, além de infecções que são associadas à presença de agentes biológicos.

Há também problemas em relação ao número de movimentos repetitivos feitos em um pequeno espaço de tempo e fatores psicológicos que podem interferir na rotina dos funcionários.

Para reduzir os riscos, o Ministério do Trabalho determina alguns padrões que devem ser seguidos, que serão abordados ao longo dos próximos itens!

Entenda como ocorre a fiscalização

A norma reguladora mais recente do trabalho em frigorífico é a NR-36, que foca em questões de segurança e saúde no trabalho de empresas de abate e processamento de carnes e derivados.

O objetivo é que a segurança, a saúde e a qualidade de vida no trabalho de funcionários de frigoríficos seja garantida por meio de requisitos mínimos estabelecidos para a avaliação, controle e monitoramento dos riscos que existem nas atividades realizadas na indústria.

As exigências englobam desde o mobiliário e postos de trabalho, até estrados, passarelas, plataformas, manuseio de produtos, levantamento e transporte de cargas.

A NR-36, respeitando a saúde do trabalhador, combate as más condições e previne os acidentes que antes eram cotidianos.

Saiba quais são as principais medidas de segurança do segmento

Em relação aos equipamentos de proteção individual (EPI) e às vestimentas usadas no trabalho em frigorífico, a norma estabelece que cada item deve ser escolhido de forma que ofereça a eficácia necessária para o controle da exposição ao risco.

Quando utilizados concomitantemente, os equipamentos precisam ser confortáveis e não devem acarretar riscos adicionais ao usuário.

Em termos específicos, muitas questões podem ser abordadas. Em atividades com exposição ao frio, por exemplo, as meias fornecidas devem estar limpas e serem higienizadas diariamente.

Sempre que necessário, as luvas devem ser substituídas, pois devem ser compatíveis com a natureza das tarefas, condições ambientais e com tamanho das mãos de quem as utiliza.

Aos empregadores, cabe disponibilizar vestimentas de trabalho adequadas, de maneira que os trabalhadores possam substituí-las sempre que preciso e tenham mais de uma peça para usar de maneira sobreposta, com extremidades compatíveis com a atividade e o local e trabalho.

O empregado, por sua vez, é responsável pela higienização das vestes e pela realização da troca, diariamente.

Descubra como promover um gerenciamento dos riscos

Os riscos do trabalho em frigorífico são gerenciáveis e o empregador deve investir em uma abordagem planejada, estruturada e global de prevenção, utilizando meios técnicos, organizacionais e administrativos para assegurar o bem-estar dos trabalhadores.

Ao elaborar uma estratégia de Segurança e Saúde no Trabalho (SST), as ações de prevenção, as atividades de gestão e a dinâmica da produção devem ser integradas.

Para aperfeiçoar de maneira contínua o desempenho e integrar a prevenção em todos os níveis da corporação, o ideal é que a competência e experiência dos funcionários sejam levadas em consideração.

Durante o planejamento da prevenção, os métodos, técnicas e ferramentas mais adequadas para a avaliação de riscos devem ser definidas, assim como os parâmetros e critérios para futuras tomadas de decisão.

A avaliação dos riscos, por outro lado, introduz medidas de prevenção para que os mesmos sejam eliminados ou reduzidos, além de possibilitar a determinação de quais medidas são ou não adequadas.

É esperado que as ações em SST englobem todos os riscos à segurança e saúde, abordando, no mínimo, aqueles gerados pelo ambiente de trabalho, como os decorrentes da exposição a agentes externos, pela organização do mesmo, por máquinas, equipamentos, instalações, entre outros.

 

Saiba mais sobre ergonomia:

ergonomia e produtividade na industria

Ergonomia e o aumento de produtividade na indústria

Pensando em atender às necessidades de segurança e ergonomia na indústria, a Tecnotri lançou uma linha de pallets ergonômicos rotomoldados e contentores ergonômicos, desenvolvidos para garantir a segurança e bem-estar dos colaboradores… [continue lendo]

 

O que você achou deste post?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
+ 55 (54) 999 597 996
 
+ 55 (54) 991 693 589
 
+ 55 (54) 991 914 126
×